terça-feira, 3 de agosto de 2010

Comentários sobre o livro Rework



Gostaria de compartilhar algumas coisas que escrevi sobre o livro Rework tanto comigo mesmo, para consultas futuras quanto com outros interessados no livro.


Escrito por Jason Fried & David H. Hansson criadores da 37 Signals, empresa famosíssima por seus produtos que prezam pela simplicidade no uso, pelo número de funcionários X número de usuários de seus sistemas, só para entender: Neste momento em torno de 20 funcionários e mais de 5 milhões de usuários. Famosa também pelo outro livro Getting Real. Ah! é claro! Entre várias outras coisas tem o pequeno detalhe, David H. Hansson criou um tal de Ruby On Rails, obviamente hoje recebe contribuição de milhares de pessoas ao redor do mundo através do github. Mas vamos ao livro.


É bom lembrar que o livro foi escrito baseado nas experiências dos autores. Funcionou para eles, mas pode não funcionar para você. Ainda assim o livro é muito bom, de leitura extremamente simples e faz um convite à abertura de sua mente.


Minha avaliação do livro fica por aqui, afinal não quero contagiar a leitura dos colegas, então Vamos por tópicos:


Realidade – Hoje para fazer a diferença e criar algo você não precisa de muita coisa. Você pode trabalhar em casa e mesmo assim se integrar, participar e colaborar com pessoas em qualquer canto do mundo. Repense o seu jeito de “trabalhar”.


Mundo real – Mundo real não é um lugar é uma desculpa usada pelas pessoas para não tentar algo novo. Aquela frase “Cara isso não funcionaria no Mundo Real!” Não caia nessa!


É errando que se aprende – Errando você aprende que por aquele caminho não dá pra passar. Existem milhares de outros caminhos e você não aprendeu o caminho certo. Aprenda com seus acertos! E mais, se outros falharam, não quer dizer que você também irá falhar. Isto é problema deles e não seu.


Longos planejamentos falham – “Ok. Estamos em janeiro... aqui no Project vejo que este projeto será entregue na terceira semana de novembro do ano que vem. ” Uau! Lembre-se, planejar projetos curtos, com iterações curtas já é difícil, grandes projetos então?! Tente quebrar em pequenas partes o máximo que conseguir. Vai falhar menos.


Crescer pra quê? – Tem certeza que quer crescer? Ter 200 funcionários? Isso não significa que ganhará mais dinheiro! Não tenha vergonha de ser pequeno. Tenha orgulho de entregar bons produtos, com poucas pessoas e bom lucro.


Workaholism não é legal – Nossa cultura prega que é legal trabalhar demais! Mas trabalhar demais nem sempre quer dizer entregar muito trabalho. Falando sobre sustentabilidade, trabalhar até de madrugada não é sustentável. Pense nisso.


Não seja apenas empreendedor – Faça algo que você realmente goste de fazer e ainda receba por isso! Faça a diferença, deixe uma marca, se vai fazer algo, faça algo que fará diferença.


Resolva seus próprios problemas – Se você focar em algo que resolverá seus problemas não precisará perguntar a ninguém como fazer. Se você precisa desse serviço/produto sabe exatamente como deve ser feito.


Comece logo! – Duvido que nunca tenha acontecido com você ou com alguém que você conheça: “Eu tive uma idéia muito parecida com o (Mercado livre/Twitter/Orkut/Youtube/etc), se eu tivesse feito estaria rico!”


Sem desculpas – “Não tenho tempo.” Pare de assistir TV, jogar vídeo game, etc. Esprema algumas tarefas e/ou costumes e perceberá que sobrarão algumas horinhas em alguns dias da semana. Use este tempo para isso.


Atitude – Vale à pena perder alguns clientes se isso significar que a maioria amará seus produtos. Por exemplo: Não aceitar colocar algumas características específicas para alguns poucos clientes.


Você realmente precisa disso? – Pense bem! Pergunte-se sempre antes de uma decisão. Eu realmente preciso de um escritório grande? Ou posso compartilhar um com alguém, ou até mesmo trabalhar em casa? Eu realmente preciso de mais uma pessoa trabalhando aqui? Eu realmente preciso ...? Várias grandes empresas começaram em garagens...


Comece uma empresa, não uma startup – “Vamos começar no futuro vejo como gerar lucro.” Isso é como projetar um foguete fingindo que a gravidade não existe. Não vai funcionar!


Não abra uma empresa pensando em vendê-la – A chance é pequena. E mais, você vai vendê-la, parar por um tempo e depois vai voltar para o jogo. Pode ser que o jogo não esteja tão bom na segunda vez.


Faça menos – Levando em consideração as restrições de tempo/dinheiro/pessoas/etc e a vontade de manter tudo simples, faça menos, tente atacar o que realmente importa. Pergunte-se “Se eu tirar isso o que eu vendo ainda existiria?” Outra, – “Se você tivesse que lançar seu negócio em duas semanas, o que você tiraria?”


Tome decisões – Faça isso o quanto antes. Não ache que esperando mais você terá a resposta perfeita no futuro. “O que podemos fazer agora mesmo que seja bom o suficiente?” Lembre-se que isso poderá ser melhorado no futuro.


Não adianta correr na direção errada – Você tem de entender se o que está fazendo é realmente o que deve ser feito. Elimine documentos desnecessários, que não dizem nada. Desenhe! Elimine as camadas de abstração desnecessárias.


Interrupções acabam com a produtividade – Elas quebram o seu dia de trabalho em momentos de trabalho. Tente usar mais e-mail e menos IM(gtalk/skype/MSN/etc).


Não faça tantas reuniões – Tente torná-las o mais produtivas possível. Pense: 1 hora de reunião pode gerar na verdade o desperdício em horas igual a 1 hora vezes o número de pessoas.


Pequenas listas de tarefas – Você não consegue perceber o quão importante é a conclusão de uma tarefas quando ela está no meio de uma lista gigante. Sempre quebre em pequenas listas de tarefas. Priorize as tarefas colocando as mais importantes no topo da lista. Não priorize com números.


Foco em você – Tempo gasto se preocupando com os outros é tempo perdido. Você poderia ter gastado este tempo se melhorando. Com o foco na concorrência você se torna reacionário em vez de visionário.


O padrão é dizer não – Tente dizer não sempre que algo for pedido. Educadamente! Tente não adicionar complexidade demais ao negócio. Pensamento interessante: Existe sempre mais pessoas que não usam seus produtos/serviços que pessoas que usam.


Não confunda entusiasmo com prioridade – Ao ter uma idéia genial tente não inseri-la automaticamente ao seu negócio. Tome nota, reflita, alguns dias depois avalie sua real prioridade.


Aproveite a falta de holofotes – Aprenda, teste, aproveite este período para errar sem que o mundo inteiro saiba de suas falhas. Esta é uma posição favorável para o momento.


Aumente sua audiência – Todas as empresas têm clientes, algumas têm fãs e pouquíssimas sortudas têm audiência. Audiência sempre retorna para ouvir o que você tem a dizer. É o tipo de cliente mais receptivo.


Tudo é marketing – Marketing não é um departamento, tudo é marketing!


Faça você mesmo – Não contrate ninguém para fazer um trabalho sem que você(ou sua empresa) tenha tentado fazer antes. No mínimo você vai entender melhor o que estiver sendo feito depois. Só contrate quando realmente precisar.


Anos de experiência – Esses anos de experiência citados no currículo podem ser anos de irrelevância. O que vai fazer diferença é a dedicação, personalidade e inteligência.


Frase fantástica que sou obrigado a copiar do livro: “I have never let my schooling interfere with my education. – MARK TWAIN” Vou citar um nome de um excelente profissional que atualmente trabalha na Thoughtworks que tudo tem à ver com essa frase Phillip Calçado (Shoes). Outro super fera, Fabio Akita do AkitaOnRails.com, sem comentários. Leia bons livros.


Todo mundo trabalha – Com times pequenos todo mundo tem que trabalhar, pessoas que só delegam serviço não são interessantes para times pequenos. Ninguém deve estar acima do trabalho. Contrate pessoas auto-gerenciaveis.


Contrate bons escritores – Na dúvida contrate quem escreve melhor.


Aprenda a dar más notícias – Quando algo ruim acontecer diga aos seus clientes. Melhor você mesmo dar a notícia a ter a notícia exposta em blogs de uma maneira que você não gostaria.


Baionetas! – Todos do time deveriam entrar em contato com o cliente às vezes. Pelo menos algumas vezes no ano. É a única maneira de fazer o time sentir o que o cliente tem a dizer.


Não se cria uma cultura – A cultura acontece, ela é um subproduto de um comportamento consistente. Encoraje atitudes que você deseja que se tornem cultura e comporte-se assim também. Mas não se preocupe muito com isso. Cultura vem com o tempo.


Seu próprio Googleplex – Não se preocupe em contratar ninjas mas construa um ambiente para eles. Todos somos capazes de fazer um bom, médio ou ótimo trabalho.


Eles não são crianças – Não crie um ambiente onde o time se sinta oprimido por proibições de uso de Internet ou coisas do tipo. Entenda que você nunca terá as 8 horas de trabalho para você. Crie uma relação de confiança e respeito. Não é fácil.


Quando tudo é urgente nada é urgente – A única coisa que você consegue criar com esse ambiente de urgência constante é um stress artificial. Reserve o uso de linguagem emergencial para urgências reais.


Inspiração é perecível – Idéias são imortais, mas inspiração é perecível. Se você quer fazer alguma coisa faça agora. Foi como fiz esse resumo. Poderia ter ficado melhor, mas se passasse a vontade já era, eu não escreveria. É por aí.


Para aqueles que tiveram paciência de ler até aqui ou para aqueles que leram alguns tópicos deixem comentários!


Abraço,


@Cleydson

4 comentários:

  1. Muito bom! Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Agradeça ao Alê! Muito bom resumo! Level up :D

    ResponderExcluir
  3. Muito bom Man, estou muito triste pq demorei tanto para ler o seu post, mas antes tarde do que nunca.
    Acho que preciso levar várias coisas ditas aí mais ao pé da letra.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Há!
    Que bom que gostou!
    Acho que todos temos de praticar esses itens não é?

    Abraço!

    ResponderExcluir